Dobradinha Literária #21 – A aventura da Estrela do Ocidente – Ágatha Christie

Uma grande aventura, das muitas de Hercule Poirot.

#11 Paixão, uma viagem pelo futebol inglês – Plácido Berci

IMG_20150727_120253652Recomendo para os amantes de futebol e para aqueles que não gostam porque o livro é muito interessante.

Participei do crowdfunding da Catarse para financiar essa empreitada e não me arrependo. Além do belo livro, ganhei três marcadores de livros. Amo marcadores.

O livro tem histórias deliciosas e participações luxuosas.

A orelha foi escrita pelo correspondente da Espn, João Castello Branco e o prefácio pelo jornalista Gustavo Hoffman.

Detesto o Manchester United mas uma história que me tocou foi a da queda do avião que matou vários jogadores em 6 de fevereiro de 1958. Bobby Charlton sobreviveu a esse desastre.

A minha história favorita é a do Oasis e o lado azul de Manchester. Sou fã de rock e da banda que sempre remete ao time azul: o City. E ver jogo do City é sempre vibrar com Blue Moon.

Super recomendo!

Sinopse:

 

#10 Se houver amanhã – Sidney Sheldon

SeHouverAmanhãLi vários livros do Sidney Sheldon na minha adolescência e esse é o que mais gosto. Até virou minissérie e passou na Tv Globo. o livro tem romance, suspense e ação. Ingredientes que Sheldon era mestre. Gostava de me imaginar nos museus em que Tracy Whitney entrava, visto que amo museus. É o meu livro predileto dele, mas já li vários.

Era legal também me imaginar nas cidades que ela visita. No início, ela rouba por necessidade, depois pela adrenalina e constrói uma trama de amor e ódio com Jeff Stevens, ladrão igual à ela. Eles acabam fugindo para o Rio de Janeiro, no final.

Sheldon sempre colocava alguma citação do Brasil em seus livros. Creio que gostava do nosso País.

O romance é atemporal. Vale a pena ler!

Sinopse: Crimes perfeitos, como o roubo de um quadro de Goya do Museu do prado, são um desafio para Tracy Whitney. Mas ela não é uma ladra qualquer: para vingar-se dos homens que a colocaram injustamente na prisão, Tracy torna-se uma especialista em aplicar golpes em empresários inescrupulosos. De Nova Orleans a Londres, passando por Paris, Biarritz, Madrid e Amsterdam, ela desafia a Interpol com uma série de ações ousadas, tendo como rival apenas Jeff Stevens, um irresistível trambiqueiro.

 

Dobradinha Literária #20

Olá, galera do Blog!
Gostei muito deste título e super indico para vocês, ok?
Em minha  opinião o classifico com 4 estrelas…

Dobradinha Literária #19 : O Diário de Jack, o Estripador – Shirley Harrison

Fazia muito tempo que não chegava até minhas mãos uma obra de não ficção tão interessante, e que proporcionasse tantos contrastes e questionamentos.

De início achei que seria mais uma obra ilusória sobre este personagem tão famoso, uma tentativa de ganhar a atenção dos leitores e que no final não se chegasse a nenhuma conclusão mais embasada. Basicamente este livro se torna mais um estudo sobre a figura de Jack o estripador embasado na descoberta de um diário de um homem que assume a autoria dos crimes.

Autora: Shirley Harrison                Editora: Universo dos Livros
Número de Páginas: 504               Ano de Publicação: 2012

# 9 O lado bom da vida – Matthew Quick

o lado bom da vidaO lado bom da vida, de Matthew Quick, é um ótimo livro. Está na minha lista de top 10 dos melhores que já li. O livro é melhor que o filme que também é muito bom e deu o Oscar de Melhor Atriz a Jennifer Lawrence.

Pat é bipolar e acaba de sair da clínica psiquiátrica sob a custódia da mãe, que se compromete a supervisionar suas medicações e suas sessões de terapia. Ele era professor e tentou matar o amante da esposa. Pat tem a ideia fiz de reconquistar a ex-esposa, Nikki. Pat não se lembra porque foi parar na clínica e tenta se inserir de novo na sociedade através de exercícios físicos e cultivo de velhos hobbies como assistir futebol americano com seu pai e amigos. Seu pai tem TOC e não consegue compreendê-lo, entra em conflito, quase sempre. Nem o irmão. A única que o entende é a sua mãe. Ao jantar com um de seus melhores amigos, a esposa dele tem a ideia de apresentá-lo à sua irmã que também é bipolar, Tiffany, que perdeu o marido e por isso surtou. Seu descontrole a levou a se relacionar com muitos homens o que a levou a perder o emprego.

Pat aos poucos recupera a memória e se lembra do que aconteceu antes da internação. Tem a ajuda de seus psiquiatra e de seus familiares, que aos poucos conseguem entender o que se passou com ele e tentam se ajustar.

O que cativa em Pat é sua delicadeza e sua forma de enxergar a vida porque ele vê o lado bom de tudo. Tiffany gosta de dançar e sempre participa de um concurso. Convence Pat a participar e em troca se compromete a levar uma carta a Nikki e depois levá-la ao concurso. Os dois começam a praticar dança e o amor acontece entre eles. Tiffany percebe logo, mas Pat demora um pouco mais devido à sua obsessão por Nikki.

O livro traz altas doses de otimismo e faz com que compreendamos os meandros de uma doença mental cujos portadores ainda sofrem bastante preconceito em sociedade.

Pat tenta se redaptar à vida em sociedade e Tiffany tentar viver sem sofrer preconceito e agressões, mesmo que verbais. Vemos também o amor familiar, a reestruturação da família que sofre muito com alguém com doença mental e situações cômicas do cotidiano.

Super recomendo o livro e depois o filme com Bradley Cooper, Jennifer Lawrence e Robert De Niro, todos excelentes.

Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um ‘tempo separados’.  Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que ‘é melhor ser gentil que ter razão’ e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez.

 

 

#8 Guga, um brasileiro

20150227_062502Indo na esteira das biografias, o post de hoje fala de Guga, um brasileiro. Não é só para fás de tênis, mas sim para quem curte um grande ídolo brasileiro que é Gustavo Kuerten.

O livro tem histórias deliciosas de sua vida privada, de sua família e de seus três fantásticos títulos em Roland Garros, França. Há fotos magníficas e passagens emocionantes como a perda de seu pai por infarto, numa quadra de tênis. Tremenda ironia do destino.

Saboreei cada letra, cada palavra, cada linha.

O livro é imperdível. Gustavo Kuerten é um dos meus ídolos do esporte brasileiro de todos os tempos.

Sinopse: Gustavo Kuerten nasceu em Florianópolis e é conhecido como Guga, considerado o maior tenista da história do Brasil, antes ninguém o conhecia, mas ficou mundialmente famoso depois de ganhar o título inédito de simples do Grand Slam Roland-Garros com apenas 20 anos de idade.

Ele era um simples coadjuvante até começar a chamar atenção por derrotar tenistas com nomes de peso como Jonas Björkman, 24º do mundo, depois Tomas Muster, que era o quinto do mundo, número 1 no ano anterior e campeão de Roland Garros em 1995, o russo Yevgeny Kafelnikov, campeão de Roland Garros no ano anterior na simples, nas duplas e 3º no ranking e por derrotar na final o espanhol Sergi Bruguera bicampeão de Roland Garros em 93/94, que já tinha sido considerado o rei do saibro.

Mas as coisas não foram fáceis na infância do Guga, perdeu o pai Aldo Kuerten aos 8 anos de idade, quando ele apitava uma partida de tênis de juniores em Curitiba, seu pai antes de morrer já dizia que o Guga iria ser um dos maiores e ele não estava errado. Além disso também teve a perda do seu irmão caçula Guilherme, o qual nasceu com microencefalia e paralisia cerebral e que até então era o guardião das taças do Guga.

 

Crédito da foto: Anna Barros

Dobradinha Literária #18: Meus Primeiros Contos Clássicos – Machado de Assis e Artur Azevedo

Uma grande sacada da Editora Paulus para aproximar os jovens leitores dos textos de grandes autores como Machado de Assis e  Artur Azevedo.

Um grande semana cheia de bons livros a todos!

Dobradinha Literária #17 – Série Vagalume : Um inimigo em cada esquina

Olá amigos! Vocês estão preparados para mais um resenha do Projeto de leitura sobre a Série Vagalume?

O livro de hoje é Um inimigo em cada esquina do autor Raul Drewnick.