#47 Perdido em Marte – Andy Weir

perdido em marteO livro é melhor que o filme. Há maior riqueza  de detalhes dessa grande aventura de Mark Watney em Marte.

Ele começa com experimentos científicos e conta várias gambiarras que Mark fez até ser resgatado pela tripulação que o esqueceu em Marte, sob comando da NASA.

O livro também tem humor e referência aos gostos musicais dos astronautas. Além disso, Mark fala de séries televisivas que ele vê pelo computador.

É muito interessante descobrir tudo que Mark faz para sobreviver. E ele consegue. É possível. Amo astronomia, o sistema solar e fiquei encantada com o livro.

Ainda sugiro que complementem com o filme que é estrelado pelo maravilhoso Matt Damon.

 

Sinopse:

Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho.

Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada  de um possível resgate.
Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

#46 Tom Cruise, biografia não autorizada – Wesley Clarkson

Tom CruiseAmo Tom Cruise. Não é novidade. A biografia não autorizada é muito interessante. Fala de sua infância, família, os problemas com o pai, o casamento com Mimi Rogers e com Nicole Kidman e também sobre a Cientologia.

Devorei o livro! Foi uma raridade que pesquei num sebo da Bienal do Livro do Rio de Janeiro.

Super indico!

Ainda tem um livro mais bombástico sobre Tom, de Andrew Morton, mas esse eu ainda não li!!! Quando ler, terá resenha especial no Coração Literário!

Esse post é para homenagear os 54 anos do astro americano, feitos em 3 de julho de 2016.

 

 

Dobradinha Literária #54: O Código Élfico – Leonel Caldela

capa-blog2Autor brasileiro,   que fez uma bela mistura de literatura fantástica, aventura, ficção científica em seus trabalhos, onde  o mito e a fantasia se misturam em um só.

Leonel Caldela nasceu em  06/10/1979 em Porto Alegre – Rio Grande do Sul.  É autor da Trilogia da Tormenta, série de romances de RPG , O Caçador de Apóstolos, Deus Máquina e O Código Élfico, livros de universos próprios,  e também a trilogia A Lenda de Ruff Ghanor, inspirado no podcast Especial RPG criado pelo site Jovem Nerd.

Leonel também escreve, edita e traduz livros de RPG pra editora Jambô.

É considerado um dos maiores ou maior nome atual da literatura fantástica nacional ganhando o título de “Bernard Cornwell brasileiro” pelo escritor Eduardo Spohr.  Leonel se declara influenciado por autores como Rubem Fonseca, Bernard Cornwell e Philip Roth

Curiosidade: Raphael Draccon é seu editor.

A Editora Fantasy é a responsável pelos seus projetos, todos os livros possuem uma apresentação gráfica de primeiríssima qualidade. A primeira boa impressão que temos do livro é a capa, sem dúvida, muito bem elaborada com uma diagramação muito caprichada.

downloadNarrado em terceira pessoa , a trama ambienta-se na cidade de Santo Ossário, que é fictícia, e que se encontra em uma região remota do Brasil, sendo famosa por duas questões:

  • Pelo seu festival de cinema;
  • Os eventos bizarros ocorridos na cidade, muitos anos antes do momento em que a narração da estória começa.

Seremos apresentados  aos dois personagens principais da trama: Nicole, uma das sobreviventes aos acontecimentos noticiados em todo o país acontecidos há muito em Santo Ossário, conhecida como a “Rainha das conspirações“; e Astarte, príncipe dos elfos de Arcádia, isolado dos seus entes queridos até terminar por completo seu treinamento de guerreiro.

As histórias dos dois mundos são contadas em paralelo, sendo-nos dado sinais sobre pontos de interseção entre os dois, sendo que o mistério por detrás da infância de Nicole e do isolamento de Astarte dos outros de sua espécie vão sendo progressivamente desvendados. Até o momento em que os dois, Nicole e Astarte, nosso universo e o de Arcádia, se tocam e se encontram.

Os dois protagonistas, juntamente com Félix, um ex militar em busca de respostas que ele nunca imaginaria serem respondidas por um elfo, irão enfrentar uma das maiores conspirações do planeta, para tentar salvar a terra de uma dominação arquitetada há milênios.

O livro é dividido em três partes:

  • Na história de Astarte;
  • Na história de Nicole;
  • Na jornada conjunta rumo a uma batalha épica pelo controle da vida no planeta como é conhecida, batalha ambientada na aparentemente pacata, mas sombria e perversa cidade de Santo Ossário.

Os personagens são profundos e complexos, e a jornada que são envolvidos é muito mais introspecta do que física. Existem resenhas que ressaltavam negativamente o prólogo (confuso não só pelo uso excessivo de descrição).

Um livro  que reúne aventura, ação, romance, cenas descritas de forma crua, relatando o horror, o mal presente dentro do ser humano, aliadas a uma descrição com toda a sutileza necessária para descrever a forma como todos os acontecimentos se confundem e complementam para chegar ao desfecho final – uma batalha épica e eletrizante.

Não existem diálogos simples. A escalada é retilínea.

Boa Leitura