#58 A Culpa É das Estrelas/John Green

Já tinha visto o filme e estava muito curiosa para ler o livro. A Culpa É das Estrelas foi bem adaptado mas ler o livro é muito melhor.

A narrativa é fluida, te faz ler rápido e John Green prende a sua atenção. No livro, Hazel e Augustus têm câncer e se apaixonam após se conhecerem no grupo de apoio. Ela reluta porque sabe que vai morrer. Ele se joga de cabeça. Ela tem um câncer de tireoide com metástase pulmonar e ele osteossarcoma. Parece livro adolescente mas não é porque implica várias questões e reflexões.

Ela empresta para Gus um livro que ama A Aflição Imperial e o instiga a tentar descobrir o fim dos personagens, já que Van Houten deixa o final em aberto. Para ajudar Hazel a descobrir o que aconteceu, Augustus entra em contato com autor por email e decide visitar até a Holanda para encontrá-lo. Gasta seu dinheiro para realizar o sonho de Hazel. Ele, ela e a mãe dela viajam para Amesterdã. Hazel é internada uma semana antes, os pais relutam em levá-la mas a médica dela, Maria, a autoriza a viajar com balão de oxigênio e tudo.

O encontro com Van Houten é frustrante onde eles os trata mal. essa situação faz sua secretária que foi a mediadora do encontro se demitir. Hazel fica deprimida e Augustus decide proporcionar a ela alegrias. Eles acabam indo a um restaurante e depois ficam juntos. Hazel mesmo relutando e dizendo tudo que lhes pode acontecer, acaba cedendo.

A secretária para compensar os leva ao Museu de Anne Frank, um dos locais mais visitados de Amsterdã. Hazel quase não consegue chegar até o fim por falta de ar mas acaba se superando.

Nunca tive vontade de visitar Amesterdã até ver o filme e depois ler o livro. Há um banco na cidade em frente ao canal que relembra a passagem do livro em que eles observam o rio e refletem sobre Van Houten, a vida, a morte e todas as suas questões.

O livro é fascinante e se falar mais darei spoiler. Fala principalmente da amizade em tempos difíceis e do questionamento da vida e da morte. Augustus também fala de sua preocupação e de ser notado e de deixar uma marca na vida das pessoas, já que tem seu tempo limitado. Sua doença volta e metastiza. Ele morre mas deixa em Hazel profundas marcas. A amizade de Isaac, o menino que acaba ficando cego por um tumor no olho também é linda porque mostra as descobertas, a identidade, o suporte e um jeito de levar a vida com leveza apesar das agruras.

Destaque para os pais de Hazel porque abdicam de sua vida em prol da filha, gerando conflitos, mas uma reviravolta deixa Hazel profundamente feliz. A mãe decide voltar a fazer faculdade e seguir em frente.

Vi o filme com Tais e minha mãe após um problema de saúde dela e chorei muito. Minha mãe também ficou emocionada. Hoje terminei de ler depois que minha mãe faleceu(já tem sete meses) e me deixou marcas, cicatrizes. Foi o melhor livro que li superando Como eu era antes de você, de Jojo Moyes. Vale muito a pena ser lido. Recomendo absurdamente.

 

Anúncios